sexta-feira, 30 de março de 2007

Coisas estranhas acontecem...

Há pouco mais de um ano, Luiz Carlos, meu pai era um homem que detestava computador, internet e afins. Inclusive, condenava o comportamento meu e de minha irmã, de ficarmos horas diante de um monitor.

Este mesmo meu pai também nunca havia assistido a nenhum (eu disse nenhum) programa de todas as edições do Big Brother Brasil. Não se pode dizer que ele odiava. Ele era indiferente. Era como se o programa não existisse, e ele nem se importava em se sentir deslocado quando o assunto, numa roda de pessoas, era o paredão, por exemplo.

Hoje meu pai não apenas usa computador e assiste ao Big Brother como tem MSN, é viciado em Paciência Spider, está no Orkut e uma de suas comunidades é "Alemão do BBB7".

Seria um usurpador se passando pelo meu pai?

Em tempo: Na minha opinão, o BBB é o maior exemplo do Agenda Setting Televisivo na história da TV brasileira. Agenda Setting é uma teoria do jornalismo segundo a qual a mídia agenda os assuntos sobre os quais as pessoas irão comentar. Não se fala em outra coisa!