domingo, 18 de novembro de 2007

Simples assim

Ontem eu assisti a uma peça de teatro. Não era baseada em nenhuma obra de escritor russo (nem francês, nem japonês, nem brasileiro...). Não ousava em experimentos estéticos. Não lançava mão de metáforas nem da semiótica para conduzir o público a um momento de catarse. Não deixava nada subentendido. Nem provocava reflexões para as horas pós-teatro. Era, sim, um besteirol. Cheio de caricaturas e algumas piadas já conhecidas. Uma série de esquetes, algumas protagonizadas por um ator de (ai, ai, ai) Zorra Total.

Foram quase duas horas disso aí. Quase duas horas que eu passei literalmente chorando de rir. E é nesses momentos em que eu me pergunto: a vida já é tão complicada, por que eu deveria inventar mais complicações nas vezes em que eu posso, simplesmente, me divertir???