domingo, 6 de abril de 2008

Ainda sobre sonhos

Eu poderia ter um blog dedicado inteiramente aos meus sonhos, que são bem mais divertidos e mirabolantes que a realidade. Agora, por exemplo, dei pra sonhar em inglês. Isso é comum em algumas pessoas (tem comunidade no Orkut e tudo) (mas o quê não tem comunidade no Orkut?), mas comigo nunca tinha acontecido. Acho que isso tem a ver com o fato de eu estar assistindo a muitos episódios de Gilmore Girls antes de dormir. O mais impressionante é que, nos sonhos, meu inglês é megafluente. Eu falo superbem e entendo tudo, não importa o quão rápido as pessoas estejam falando.

Bom, essa noite eu descobri a maior vantagem de se falar inglês nos sonhos: eu posso interagir com pessoas que também falam inglês! Foi assim que, lá estava eu caminhando por alguma rua de Los Angeles, quando um carro daqueles bem chiques (porque, nos sonhos, eu falo inglês, passeio pelas ruas de Los Angeles, mas continuo sem entender porra nenhuma de carro) parou rente à minha pessoa. Parei também e vi descer do carro Bruce Willis (deve ser porque eu vi um filme com ele há mais ou menos um mês. Meus sonhos costumam ter esse delay com a realidade). Para minha surpresa, Bruce caminhou em minha direção e começou a falar comigo sobre máquinas de fazer sorvete (????). Conversa vai, conversa vem, ele resolveu se despedir de mim com um loooongo abraço. Enquanto me abraçava, colocou na minha mão um objeto e disse: "Só olhe o que é quando estiver no Brasil. É para te dar sorte".

Obediente que sou, voltei para o Brasil com a mão fechadinha. Quando, finalmente, desembarquei aqui, abri e vi que Bruce havia me dado uma moeda de dez centavos de dólar (nem sei se existe). PQP, que miséria, hein??? Mas, lá no mundo dos sonhos, eu entendi a simbologia da coisa e saí saltitante pelo aeroporto até ser interceptada por Suzana Vieira. Pseudosimpática que só ela, Suzana olhou para mim e disse: "Já vi nas capas de revista. Soube que você e o Bruce Willis estão juntos. Fiquei tão feliz, ele é tão querido". Bom, aí eu não entendi nada, porque vocês estão de prova, foi só um peculiar gosto em comum por máquinas de fazer sorvete e um longo abraço. A menos que eu tenha perdido alguma parte do meu próprio sonho.

Fiquei confusa, mas resolvi isso mudando de sonho.

Mas agora me ocorreu uma coisa. Se eu tiver mesmo pegado o Bruce eu sou praticamente a Luana Piovani do mundo dos sonhos. Porque, que eu me lembre, recentemente, sonhando, eu já tive um affair com o Nando Reis e o José Wilker.

Sintomático. Nem em sonhos eu consigo me relacionar com homens de idade, digamos, mais compatíveis com a minha. Bom assunto para a terapia.

E, antes que alguém sugira isso, já vou logo avisando que esse tipo de sonho nada tem a ver com uma suposta carência :P