domingo, 6 de julho de 2008

Acabei de assistir a um filme chamado Amor e Outros Desastres. Mais uma ótima ironia sobre o amor (e que, ainda por cima, se passa em Londres!). E aconteceu que, lá pelas tantas, a protagonista do filme começou a falar para mim. Ahan, para mim! Sabe quando isso acontece? Então. Foi assim:

"Pare de viver sua vida como se estivesse num filme. Pare de idealizar um amor em vez de encontrá-lo. O amor não é como um raio, às vezes é só uma escolha.
(...)
Talvez o amor verdadeiro seja uma decisão. Decisão de correr um risco com alguém. Dar-se, sem se preocupar se vão dar em troca, se vão magoar você, ou se é a pessoa certa. Talvez o amor não seja algo que aconteça, talvez seja uma escolha.
Talvez você deva começar colocando suas fantasias sobre o amor no lugar delas: em seus textos de ficção".


É...vai ser oportuno assim lá longe.