sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Asteriscos sobre cama, mesa, banho e outros...

...ou, assuntos que não merecem um post só deles.

* Cama: eu adoro dormir. ADORO! E como boa fã da arte de se entregar a Morfeu desenvolvi ao longo da vida algumas técnicas sobre o assunto. A mais nova: o que fazer para acordar sem tanta preguiça de manhã? Ter uma ótima noite de sono, de preferência numa cama bem confortável, certo? Errado! Quando tenho poucas horas de sono, nem durmo na minha cama. Durmo no outro quarto, que é abafado e tem a cama dura. Assim consigo me desprender muito mais facilmente desse desconforto pela manhã e, normalmente, até acordo antes do meu despertador. Já quando estou na minha caminha boa...

* Mesa: finalmente foi inaugurado o Outback de Belo Horizonte. Tudo bem que eu só estive no Outback duas vezes, em São Paulo. Mas foi o bastante para eu decidir que é a minha rede de comida preferida.

* Banho: penso seriamente em redigir um projeto de lei para encaminhar para a câmara dos deputados ou dos vereadores com a seguinte proposta: tornar obrigatória a instalação de chuveiros em locais de trabalho (e permitir seu uso livremente - ou, pelo menos, uma vez por expediente para não dar zona). Sério! Eu, que trabalho em casa, sei do que estou falando. Quando tudo está um saco, quando a criatividade se esgotou, quando nennhum entrevistado não me atende, quando estou prestes a ter um ataque...paro tudo. Tomo um bom banho e volto...calminha, calminha.

* Outro: trabalhar em casa, de fato, é um privilégio. Agora, por exemplo. Estou trabalhando, postando no blog e com a TV ligada para assistir a abertura das Olimpíadas.


* Outro: alguém já parou para pensar na expressão "nem tchum"? Racho de rir toda vez que alguém diz isso perto de mim. "Fulano nem tchum pra mim". É engraçado porque ela é uma expressão quase que restrita à linguagem oral. Porque eu nunca vi ninguém escrevendo "nem tchum" por aí. Mas, o que mais me intriga é: por que ninguém usa o antônimo da expressão? Que seria: "Nossa, fulano está tchum demais pra mim". E, por fim, a pergunta que não cala: What the hells is tchum?

* Outro: todas as ocorrências do meu nome completo no Google se referem mim mesma. Que famous!

* Outro: engraçado como o período eleitoral afetava muito mais a minha vida quando eu não votava. Porque, naquela época, eu via TV com uma freqüência muito maior que agora e achava um saco a programação ser interrompida pela horário político. Agora, que mal assisto televisão, nem assim esses deprimentes me afetam.