terça-feira, 26 de agosto de 2008

Quanto mais esquizofrênico melhor














Desde que assisti ao filme Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet estou de volta ao meu momento Johnny Depp (tenho três musos hollywoodianos. O Johnny, o Jude Law e o Sean Penn. E eles se alternam no posto de meu favorito). Fato é que Sweeney Todd foi um dos únicos musicais que não me fez dormir. Johnny Depp é incrível e me parece melhor a cada personagem. Embora ele não soubesse cantar, o diretor Tim Burton (que também o dirigiu em Edward, A Fantástica Fábrica de Chocolate e outros) fez questão que ele interpretasse o barbeiro assassino. Então, Johnny - lindo, talentoso, dedicado e tudo de bom - aprendeu a cantar. E como aprendeu. Ao lado de Johnny Depp, a ótima Helena Bonham Carter, com quem ele já havia trabalhado dublando os protagonistas de A Noiva-Cadáver. A Noiva-Cadáver, aliás, também foi dirigido por Tim Burton que, a propósito, é marido da Helena Bonham Carter. E dane-se o nepotismo, se o resultado é incrivelmente bom. Assistam Sweeney Todd!