sábado, 7 de março de 2009

E isso é tudo



[desovando textos antigos, diante da preguiça colossal de escrever coisas novas]


Eu que não acordo com os cabelos lisos. Eu que não sou do signo de Leão. Eu que não sei falar francês. Eu que não tenho um mestrado. Eu que não gosto de comida japonesa nem sei manusear hashi. Eu que não sei tocar violão. Eu que não sei mergulhar sem tapar o nariz. Eu que não tenho a bunda lisa como pele de bebê. Eu que não sei cozinhar. Eu que não tenho o menor gingado pra dançar forró. Eu que não penso antes de falar. Eu que não nasci na zona sul. Eu que não passei as férias na Disney. Eu que não sei disfarçar. Eu que não tenho vergonha na cara. Eu que não como verdura. Eu que não torço para o São Paulo. Eu que não faço caminhadas quando acordo. Eu que não consigo relaxar em sessões de relaxamento. Eu que não consigo meditar em sessões de meditação. Eu que não ouço rock pesado. Eu que não faço as unhas toda semana. Eu que não sou boa fisionomista. Eu que não ganhei nenhum concurso de beleza. Eu que não sei fazer conta com números decimais. Eu que não sou mangueirense. Eu que não sei combinar roupa com bolsa e sapato. Eu que não enxergo muito bem. Eu que não sei dizer não. Eu que não consigo acompanhar as oscilações da bolsa de valores. Eu que não sei fazer baliza. Eu que não entendo nada de vinhos. Eu que não tenho mais 20 anos. Eu que não sei brincar com cachorros. Eu que não consigo diferenciar chineses, japoneses e coreanos. Eu que não sei jogar truco. Eu que não bebo destilados. Eu que não assisto musicais sem dormir. Eu que não sei esperar. Eu que não aprendi a mentir. Eu que não tenho tatuagens. Eu que não sou loira. Eu que não sei perder. Eu que não duvido de nada. Eu que não tenho nenhuma certeza. Eu que não sou nada, te ofereço meu nada. Para você preencher.