quinta-feira, 28 de maio de 2009

Querido diário,

Ainda são 10h33 e eu já comi meia lata de leite condensado. Queria justificar que fosse culpa da TPM ou da ansiedade mas nem é. Pra falar a verdade, eu ando estranhamente calma esses dias. E olha que minha agenda está lotada. Hoje eu preciso fazer uma série de entrevistas por telefone. O chato é que à tarde sempre me dá muito sono. Eu até poderia dormir, afinal, eu trabalho em casa mesmo. Mas, né, e a consciência? Sem falar que não é prudente ligar para as pessoas, para entrevistá-las, de madrugada, que é quando tenho funcionado melhor. Engraçado é que antes eu era totalmente do dia, agora não. As ideias só vem quando o sol vai. Amanhã tenho reunião no colégio. Segunda de manhã reunião na revista e segunda à tarde no novo cliente. Já falei do novo cliente? Não, né? Fechei com ele ontem. Estou animadíssima com esse trabalho, embora prevejo muito estresse por aí. Mas tudo bem. Nada será como antigamente, porque agora eu sou uma pessoa calma, afinal de contas. Antes, por exemplo, eu passaria o fim de semana inteiro levantando pautas para levar para as reuniões de segunda. Agora não mais. Vou é passar o fim de semana acampada na Serra do Cipó. Por falar nisso, preciso fazer minha mala hoje. Porque amanhã, além da reunião do colégio, tenho que ir à minha agência bancária resolver o fechamento da minha conta (yes!). Enfim, o que levar no acampamento? Eu só acampei quando criança, então quem fazia minha mala era minha mãe. Tem feito muito calor durante o dia aqui em Belo Horizonte, mas à noite esfria. Imagine no meio do mato, cercado por cachoeiras? Isso é muito chato. Roupas de frio dão muito volume e a mala precisa ser compacta. Imagine aparecer com uma mala de rodinha na Serra do Cipó? E olha que eu sou uma mulher muito prática. Nunca carrego coisas que não vou precisar e normalmente consigo fazer malas modestas. Exceto quando preciso levar muitas calças e, né, minhas pernas são enormes, consequentemente as calças também. Enfim, mais tarde vou tentar empurrar tudo na minha mochila e vamos ver o que acontece. Só espero não ter problemas para dormir na barraca. Sou meio claustrofóbica, sabe. Também preciso fazer minha sobrancelha, minhas unhas e depilar todo o resto. Sério, se eu fosse homem eu teria muito mais tempo para o que quer que fosse. Morro de preguiça dessas mulherzices mas, né, nunca se sabe quando vou precisar estar ajeitadinha. Bom, acho que preciso ir agora. Continuar meu trabalho, comer a outra metade do doce e organizar meu tempo para dar tudo certo. E vai dar. Afinal, agora eu sou uma pessoa calma e, né, vou repetir isso até acreditar.

Fernanda