sexta-feira, 26 de junho de 2009

Human nature

O interessante é pensar que meus filhos saberão exatamente quem foi Michael Jackson, assim como eu sei exatamente quem foram John Lennon e Elvis Presley, mesmo tendo nascido após a morte deles. E ainda que eles tenham dúvidas e me perguntem, eu direi: foi o ser humano mais estranho de quem eu já tive notícia, excêntrico, mudou de cor e de feição, balançou o próprio filho na sacada de um prédio e, há quem diga, teve outros contatos de gosto extremamente duvidoso com filhos alheios. Um gênio, no entanto.



Nem lembro quando foi a última vez que me choquei tanto com a morte de uma celebridade. O que sei é que eu preciso parar de ler e assistir reportagens sobre o assunto e voltar ao trabalho. Não faço outra coisa desde ontem, por volta das 18h30 -quando nada ainda era confirmado - e meu pai entrou no meu quarto e deu a notícia. Eu achei que era lorota e nem liguei. Minha irmã achou que era outro Michael Jackson, um doido que vive num bairro onde a gente morou.