sexta-feira, 23 de outubro de 2009

"Vai ter uma festa,que eu vou dançar
até o sapato pedir pra parar.

Aí eu paro, tiro o sapato
e danço o resto da vida" - Chacal



* Os números são chatos.Ok. E qual é a novidade? A novidade é que acho que estou sofrendo de uma certa dislexia numérica. Um dia sim e outro também tenho confundido algum número em suas mais variadas aplicações. Número de telefone, de endereço, de CNPJ, de conta no banco, de senha disso, de senha daquilo, de valor. Até data que, supostamente era o tipo de informação que eu conseguia armazenar sem falhas, tenho confundido. O que me alivia é que não é nada tão grave, pois não confundo o número toooodo. Normalmente é só um algarismozinho lá no meio do telefone. E é aí que eu volto no início da conversa. Se fosse uma frase e eu errasse uma palavrinha lá no meio, beleza, ela continuaria entendível pelo contexto. Mas número, não! Número não tem contexto. Errei um, errei todos. Chatíssimos, miseráveis!


* Os números são chatos e as pessoas gostam de sofrer. Será que é por falta de maiores problemas na vida que tem gente que perde taaanta energia se desgastando por causa do horário de verão? É um tal de "meu relógio biológico não se acostuma"; "eu durmo mais tarde e acordo mais cedo". Oi??? Que relógio biológico o quê. Isso é mania de reclamação. É apenas uma hora de diferença e o dia continua a ter todas as 24 habituais. Só relevo reclamação dos acreanos, que em tempos de horário de verão assistem ao Jornal Nacional às seis da tarde.


* Os números são chatos, as pessoas gostam de sofrer e o Maneco pirou de vez. Sou noveleira e não vejo porquê negar. Não me mata, nem me fortalece, apenas me distrai. Mas está difícil viver a vida com Manoel Carlos. Definitivamente ele perdeu a mão. O cotidiano que ele cria só existe num mundo parelelo. Seus diálogos, com intenção de serem realistas, são surrealistas! Alguém avisa pra esse homem, pelo amor de Deus, que mulheres quando se juntam não falam apenas sobre sexo!!!! Outro dia, uma das ricas-que-não-faz-nada-da-vida, contava para as amigas, às gargalhadas, que achou o máximo ter sonhando que o marido transava com a prima em pleno pregão da Bolsa de Valores. Hein??? E o diálogo bizarro: "Chama sua irmã pra dançar salsa com a gente". "Ela não pode dançar salsa porque ela é virgem". Mas até eu que não sou uma novelista com salário milionário sei que essa frase faz tanto sentido quanto "adoro chocolate porque o cachorro fugiu". Está decidido! Vou parar de ver essa novela antes que eu morra de vergonha alheia.


* Os números são chatos, as pessoas gostam de sofrer, o Maneco pirou de vez e o Gael é lindo. Finalmente, depois de começar cinco vezes, consegui assistir "Ensaio Sobre a Cegueira" até o fim. Melhor cena de todas: Gael Maravilhoso García Lindo Bernal cantando "I just called, to say I love you...", no melhor estilo Stevie Wonder. Sensacional.

* Os números são chatos, as pessoas gostam de sofrer, o Maneco pirou de vez, o Gael é lindo e amanhã eu vou num baile. E vou dançar até meu salto quebrar. E quando o salto quebrar eu fico descalça e danço a noite inteira. Quem sabe numa dessas sacudidas eu deixo escapar para fora de mim a razão de minha agonia?