sábado, 14 de novembro de 2009

A inveja



Você não vai ter inveja da Madonna, da Gisele Bündchen e da Angelina Jolie. Se te perguntarem se você quer tudo o que uma delas tem, naturalmente, você deve aceitar sem menor sinal de dúvida. Mas não é o que você deseja de coração. A vida delas é em outro mundo. Uma realidade paralela. Que você admira, de longe, e sabe que não precisa gastar esforços invenjado-as pois não vai chegar lá.

O que desperta inveja não é a fama, uma conta milionária, o marido maravilhoso-rico-famoso. O que desperta a inveja são coisinhas plenamente acessíveis que, por algum motivo, você não consegue ter. Então você inveja a amiga, a irmã, a vizinha, a prima. Porque, puxa, se elas conseguiram você também deveria ter conseguido, não? Os desejos da inveja são tão simples que o invejado nem consegue entender o porquê.

Eu não tenho um namorado que me leva e traz, eu não sou bonita, eu tenho que suar - às vezes, literalmente - pra conseguir cada centavo que eu tenho, eu preciso juntar dinheiro quando tenho interesse em comprar qualquer coisa cujo preço tenha mais de três dígitos e ainda assim eu preciso conviver com a infelicidade alheia diante das minhas conquistas tão pequenas.

Eu não entendo, mas tenho um palpite. O que acontece é que com tudo o que a vida me apronta eu consigo ser feliz, mesmo. Eu consigo fazer amigos sem precisar analisar o currículo escolar deles. Não me interessa onde eles moram, o que fazem da vida, pra que time torcem, qual religião seguem, como é seu porte físico. Me interessa é saber como eles são e o quanto estão disposto a serem meus amigos. E, olha, por mais clichê que isso possa soar, os amigos que tenho são uma das únicas certezas da minha vida.

E a vida ao lado deles é uma festa. Eu nunca estou sozinha, eu sempre tenho o que fazer, eu sempre tenho com quem contar, eu sempre tenho um plano, eu sempre tenho algum motivo para rir. Até os distantes se fazem presentes, seja batento papos intermináveis via internet ou seja chegando aqui em casa por meio de uma caixa do Sedex cheia de surpresas e amor.

A diferença é que o que a Madonna, a Gisele a Angelina tem são coisas que tem preço. E o que eu tenho, são coisas que tem valor. Deve ser por isso que esse sentimentozinho tão vil bata à porta, às vezes. Mesmo que o invejoso nem tenha consciência disso e - eu realmente acredito nisso - nem faça por mal. É tudo uma questão de se policiar. E controlar as palavras e os olhares quando o outro chega contando uma novidade.



Por via das dúvidas, né, melhor se proteger.