quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Elvis



Eu (e praticamente todas as mulheres do mundo) tenho muitas fases. A última havia sido a fase de vampiros. Qualquer livro e filme vampirescos estavam me interessando. Agora eu estou na fase Elvis Presley. Naturalmente, eu sempre gostei das músicas dele e trago da minha infância uma lembrança muito marcante de um filme que vi sobre sua vida. Deve ter, sei lá, mais de vinte anos que assisti àquele filme. E, curiosamente, o que me marcou não foi o jeito peculiar de Elvis se vestir ou se comportar no palco, mas a sua relação com as pílulas. Lembro de ter ficado impressionada de ver que alguém só conseguia dormir se tomasse remédios. Em meio a tantas lembranças, essa, do Elvis tomando pílulas, nunca saiu da minha cabeça.

E aconteceu de, nessa minha fase em que eu não consigo parar de ouvir Elvis, eu assistir novamente ao filme em questão. Chama-se "Elvis and Me", foi produzido para a televisão e é baseado nos relatos de Priscilla Presley. Não se trata de um filme sobre o rei do rock. É um registro da história desse casal. E, bom, se você não se interessa pela vida de Elvis Presley mas é fã de uma boa história de amor, vale a pena assistir. Dessa vez, pouco me importou o lance das pílulas, o que me deixou impressionada mesmo foi a capacidade de os dois terem se amado mesmo com tantos empecilhos. Enquanto via o filme, pensei o tempo todo: "ah, eu já tinha largado esse cara há muito tempo". Deve ser porque eu sou uma pessoa dos anos dois mil. Que quer tudo pra ontem, que não sabe esperar. Talvez se nós fôssemos um pouco mais pacientes, pudéssemos ainda experimentar algum amor romântico. Porque, acredito, o amor continua o mesmo. Nós é que mudamos.

O filme "Elvis and Me" está todo disponível no YouTube, com legendas em português: AQUI