terça-feira, 9 de março de 2010

E quantos segredos traz o coração de uma mulher?


Se vocês soubessem da missa um terço, não ficariam tão ensimesmados. Eu poderia colocar todas as minhas cartas nas suas respectivas mesas. Facilitaria para vocês e, possivelmente, para mim também. Mas prefiro o mistério. Pode ser um pouco sádico da minha parte, mas adoro vê-los com a sensação de estarem no comando. Já estiveram, algum dia, é verdade. E pode ser até que alguém reassuma o comando. Mas não agora que eu estou ganhando. Como diria minha avó: eu tô que tô! Vocês dirigem empresas, governam países, comandam exércitos mas nunca, jamais, serão capazes de dominar o coração de uma mulher. O máximo que terão é a sensação de domínio que, como eu já disse, é apenas uma gentileza que nós, mulheres, fazemos por vocês. O que nos torna mais capazes? Simples! A CORAGEM! Temos medo de barata, de escuro, de andar sozinha na rua e só. Não temos medo de nos machucar, não temos medo de nos envolver, não temos medo de mostrar nossos sentimentos. Por isso não corremos, por isso não fugimos, por isso damos a cara a tapa e, por isso, somos incapazes de simplesmente desaparacer sem dar notícias ou desligar o celular. Somos fortes. Somos ação, sem medo da reação. Eu - na primeira pessoa do singular - sou assim. E quer saber? Tenho vivido muito bem. Eu não vim ao mundo para ficar me escondendo e levando uma vida medíocre. Eu gosto é de milhares de sensações por minuto. Outro dia eu estava aí, me lamentando, juntando meus cacos. Hoje eu estou aqui, feliz da vida e tentando encaixar tudo o que eu quero na minha agenda do Puff. Sou mulher, e carrego tudo aquilo que está intrínseco nessa palavra. E vocês...são só garotos. Não importa a idade que tenham, serão sempre garotos.



Atrasado mas, de coração: Feliz dia internacional das mulheres a todas as minhas meninas-coragem.

p.s.: meu blog andou dando uns surtos de funcionamento, mas acredito que agora esteja tudo ok.
p.p.s.: a quem interessar possa: eu estou muito feliz. Muito mesmo. Toda a minha faceta chata e reclamona, deixo aqui no blog. Na vida, como bem disse Clarice (sempre ela): não estou tendo tempo para mais nada. Ser feliz me consome muito.