sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A palestra

Terça-feira fui à palestra "Moda e Autoestima", ministrada pela publicitária Cris Guerra (que faz o festejadíssimo site Hoje Vou Assim), a convite de uma amiga. Confesso, fui atraída mais pela parte da autoestima que da moda que, a princípio, é um assunto que nem faz muito a minha cabeça. Não entendo nada de marcas de roupa, não sei o que está bombando e o que não está. Quando vou comprar roupas levo em conta um único critério: se eu estou me sentindo bem com aquilo. Às vezes acontece de ser uma peça do momento, e às vezes acontece de ser algo que - aos olhos dos fashionistas - já ficou para trás há três estações. Dane-se! E vendo a palestra da Cris percebi que esse meu método não deixa de ser uma forma minha de interagir com a moda. Afinal de contas, como ela bem disse: a moda deveria ser um fator de diferenciação e não de padronização.


Por outro lado, em relação à autoestima, eu não sou a pessoa mais bem resolvida do mundo. Não mesmo. Para falar a verdade, poucas são vezes em que olho no espelho e gosto do que vejo. Mas tenho aprendido - e a palestra da Cris só veio para reforçar isso - a valorizar o que eu considero legal em mim. E não viver obstinadamente reparando nos meus defeitos. Como assim? Vou dar um exemplo que não é meu. Outro dia li num livro que a ex-primeira dama mais elegante do mundo, Jacqueline Kennedy usava aqueles óculos gigantescos (que acabaram virando sinônimo de luxo e marca registrada dela) porque ela se achava muito feia, tendo os olhos tão afastados um do outro. O que para o mundo todo era um charme, para ela era um disfarce. O importante é que com os óculos ela se sentia bem.

Da mesma forma, eu me sinto muito bem quando estou de bota. Quando estou de cabelo liso. Quando estou sem óculos. E não me importa se está fazendo um calor de 40 graus. Se todas - TODAS - as pessoas que eu conheço acham que eu fico melhor com meu cabelo natural. E se os homens dizem que eu fico um charme de óculos. Não adianta. Eu posso até sair de sapato ou sandália (e saio muito), com os cabelos naturais (quase todos os dias), de óculos (e uso muito). Mas quando eu estou de botinha, cabelo liso e sem óculos, amigos, nem a Angelina Jolie é páreo.

Então, acho que a ligação da moda com a autoestima é essa. Você escolher aquilo que te faz bem e fazer daquilo a sua moda. Quanto ao resto (São Paulo Fashion Week, modelos, padrões de beleza, últimas tendências e blábláblá), bom, o resto é resto.