sexta-feira, 16 de março de 2012

Prólogo


Faltam 16 dias para eu ir para o Chile. Eu nunca havia pensado em me mudar de país e, portanto, nunca havia parado para analisar quanta coisa precisamos resolver caso isso aconteça.

Estou muito ansiosa pela mudança mas o fato de eu ter que desembolar tantas pendências está me ajudando a controlar os nervos e a manter a mente ocupada.

Quando ficou certo de que eu iria mesmo no começo de abril, fiquei com menos de um mês para cuidar de tudo. Para não me esquecer de nenhum detalhe, importante ou não, parti de uma lista básica:

- Cancelar assinaturas de revistas (Eu estava assinando quatro revistas, o que gerava um certo incomodo do pessoal aqui de casa. Afinal, elas estavam criando pilhas intermináveis junto às outras que eu comprava. E, para falar a verdade, eu também já estava me incomodando pois não estava conseguindo ler tudo).

- Cancelar cartões em geral (Seria muita cara de pau eu deixar minha família recebendo minhas faturas para pagar, né? Quitei tudo! Coisa que eu já deveria ter feito há tempos).

- Cancelar plano de internet.

- Adquirir um plano de celular viável para manter o mesmo número no exterior.

- Marcar consultas médicas (A princípio eu não terei plano de saúde no Chile como eu tenho no Brasil. Plano, aliás, que eu tenho há anos mas uso raramente porque a saúde vai muito bem obrigada. Mas sabem como Murphy é implacável, né? Melhor dar uma conferida antes de viajar).

- Conversar com meu gerente no banco (Como vou continuar trabalhando normalmente e recebendo em reais, na minha conta de sempre, achei por bem comunicar ao banco, para que não achassem minha movimentação nos próximos meses muito suspeita).

- Marcar corte de cabelo e progressiva (Nunca se sabe quando vou encontrar um cabeleireiro de confiança, né, gente?).

- Decidir o que levar na mala. Ou melhor: decidir o que não levar. (Só posso despachar uma mala de 23 quilos e levar uma de mão de cinco quilos. Resumindo: preciso reduzir minha vida a 28 quilos. Já é difícil fazer mala para viajar. Imagine para morar. E morar num lugar onde a temperatura varia de posições negativas a 35 graus! Acho melhor pensar sobre isso só na véspera. Não vou sofrer por antecipação. Mentira, vou sim).

- Estudar um pouco de espanhol (Eu estudei espanhol durante anos quando era mais nova e, quando fui para o Chile em janeiro, descobri que já tinha me esquecido de quase tudo. Ler e escrever é tranquilo, mas quando eles falam, é a mesma coisa que se eu estivesse, sei lá, na China. Sem falar que eu me perco muito também quando tento me fazer entender. Por isso, comprei um guia de bolso para me socorrer nos momentos de aperto).

Meu novo melhor amigo.

- Criar um blog para registrar essa nova fase da minha vida. Oba! Já posso riscar um item da lista!