sexta-feira, 6 de abril de 2012

Bienvenidos!




Cheguei. Cheguei mas cheguei mesmo. Embora o fato tenha acontecido no cheio de suspeitas primeiro de abril. Desembarquei de mala, cuia e coração aberto no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benitez. A Cordilheira dos Andes, deslumbrante sob o sol de meio dia, me deu boas vindas. Tiveram outras boas vindas. Estas não partilhadas com meus companheiros de voo, mas exclusivamente minhas. <3

Já estou há quase uma semana aqui e cheia de observações sobre essa cidade que tão bem me recebe. Engraçado que, agora, as observações são um pouco diferentes das que fiz quando vim pela primeira vez, de férias. Agora não são férias. Agora é a vida. E na vida a gente lida com fatos cotidianos como ter que ligar com o suporte técnico da internet porque a conexão caiu. E como são educados. Fiquei completamente embasbacada. Os operadores de telemarketing brasileiros precisam fazer um treinamento com os chilenos. Aqui, eles não desistem de você. Não desligam até ter a certeza de que você está satisfeito. Nada de frases decoradas e voz empostada. É um relacionamento de gente para gente.

Não, grande pátria desimportante. Em nenhum instante eu vou te trair. Só que as comparações são inevitáveis. Às vezes é ponto do Chile, às vezes, é ponto do Brasil.

No quesito saudade, agora ela é toda brasileira. Mas, como diria o filósofo Chorão: "cada escolha, uma renúncia. Isso é a vida". Apesar de ter o coração apertado, estou serena e feliz com as minhas escolhas. Essa oportunidade que a vida me deu está sendo um privilégio.

Hasta la vista.

P.S.: Mãe, te amo.