sábado, 9 de março de 2013

Roteiro: Santiago do Chile


Aparentemente, Santiago é a nova Guarapari. Não sei se sempre foi assim e se me dei conta só agora, que estou aqui. O fato é que, além de encontrar com brasileiros a cada esquina, praticamente toda semana recebo e-mail de alguém me pedindo dicas de lugares para conhecer na capital chilena.

Não torça o nariz para o fato de a cidade estar entre os roteiros “da moda” para os brasileiros. Isso é muito legal porque, realmente, é uma cidade muito bonita, agradável, civilizada e bastante receptiva com turistas que vem do Brasil.

Bom, como estou sempre repetindo as mesmas dicas, resolvi fazer um post definitivo, dando uma orientação para quem vem à cidade pela primeira vez. Vejam bem, não posso falar sobre TUDO o que há de legal para conhecer aqui. Mas apenas do que eu conheço e/ou julgo interessante.

Cerro San Cristóbal  (Bairro Bella Vista)

O Cerro San Cristóbal é um destino tradicional. Não ir até lá é como ir ao Rio e não visitar o Cristo. Uma comparação bastante adequada já que a ideia é a mesma: um morro, de onde se tem uma linda vista da cidade, com uma imagem santa no topo. No caso, a Virgen Inmaculada Concepcion. Para subir ao Cerro de carro tem que pagar 4 mil pesos. Geralmente, turistas não estão de carro. Então recomendo que se pegue um táxi. A subida é humanamente impossível bem puxada, longa e íngreme. O Cerro tem várias atrações. Algumas mais voltadas para os próprios santiaguinos, como uma piscina pública e o jardim zoológico (pois é, a cidade é toda plana e o zoo fica justo num morro). Para os turistas, o que é legal mesmo é a subida até a virgem.






* No Cerro é muito comum a venda de Mote con Huesillo, uma bebida típica do Chile. Trata-se de uma calda doce, com um pêssego seco boiando lá dentro e umas bolinhas de trigo. Sei que minha descrição não foi muito apetitosa mas é porque, realmente, não me apetece. Mas se você é o tipo de turista que curte ter todas as experiências locais, fica a dica.



La Chascona (Bairro Bella Vista)

Aproveite que está no bairro da Bella Vista e visite La Chacosna, que é a casa de Pablo Neruda em Santiago. Bom, confesso que nunca estive nessa casa e, portanto, não posso falar nada sobre. Mas já visitei as outras duas casas dele – uma em Valparaíso e outra em Isla Negra – e gostei muito. Leia sobre minhas visitas às outras casas aqui e aqui. Sobre La Chascona, informações aqui.


Patio Bella Vista (Bairro Bella Vista)

Sou completamente in love pelo Patio Bella Vista. Um boulevard agradabilíssimo com opções de restaurantes para todos os gostos. Todos mesmo. Alguns, internacionalmente famosos, como o Como Água Para Chocolate. Mas não me agrada apenas pelo fator gastronômico (embora, confesso, seja o principal motivo). O lugar é lindo e cheio de lojinhas onde é possível encontrar souvernirs para levar pra galera. Lá, assim como em vários outros lugares, também tem joalherias especializadas na venda de acessórios feitos de lápis lazuli, uma pedra que é encontrada somente aqui no Chile e no Afeganistão.




Mercado Central de Santiago (Centro)

Um lugar bom comer (especialmente no tradicional restaurante Donde Augusto, no qual muitos garçons até falam português) e bom para comprar souvenir. Mas, olha, brasileiro é acostumado com mercados muito maiores (o Central de Belo Horizonte, por exemplo) e não chega a se surpreender. Além do que, como é um lugar bastante frequentado por turista, chega a ser insuportável andar lá dentro, tamanho o assédio dos garçons. Sério, me senti famosa andando lá dentro. E, olha, parece que ser famosa é bem chato.

Cerro Santa Lucia (Centro/Lastarria)

Na minha opinião o Cerro Santa Lucia não deve ser prioridade na sua viagem a Santiago. Mas se tiver sobrando tempo, vale a visita. Lá só se pode subir a pé (tem elevador) ou em carros de excursão. Táxi e carros particulares não são permitidos. A subida é gratuita, a vista é bem bonita e tem todo um conteúdo histórico na visita. Santiago foi fundada por Pedro de Valdívia aos pés do Cerro Santa Lucia, em 1541.




Palacio de La Moneda (Centro)

Palacio de La Moneda é a sede do governo chileno. O palácio é muito bonito e  circundado pelas belíssimas construções do centro histórico de Santiago. Literalmente embaixo do palacio está o Centro Cultura Palacio de La Moneda. Vale a visita também.





Plaza de Las Armas (Centro)

Muito próxima ao Palácio de La Moneda, a Plaza de Las Armas é aquela praça com uma linda catedral, prédios antigos contrastando com construções modernas, cartomantes em serviço, artistas pintando quadros e pombas por todo o lado completando o cenário bucólico e efervescente. Cachay? (Cachay = “entendeu”, no espanhol chileno. Preparem-se, eles falam isso a todo momento).




Cafe con Piernas (Centro)

Cafe con Piernas é exatamente isso: um café, onde as atendentes servem os clientes usando lingerie. Trata-se de uma tradição chilena e existem vários espalhados pelo centro. Eu achava que fosse uma coisa mais charmosa, mais com insinuação que qualquer outra coisa. Mas estive em um e, de fato, as moças têm contato físico com o cliente (ao menos nesse, onde estive). Apesar de só funcionar durante o dia, a iluminação é de boate e todos esses estabelecimentos se escondem por trás de portinhas minúsculas e discretíssimas.

Costanera Center (Bairro Providencia)

O Costanera é um shopping de sete pisos, localizado na base do mais alto edifício da América Latina (que leva o mesmo nome e ainda não está pronto). O shopping em si é mais imponente que bonito, mas dá pra fazer boas compras!

Parque de las Esculturas (Bairro Providencia)

Fica na mesma avenida da entrada principal do Costanera Center (Andres Bello). Dá pra ir caminhando de um lugar para o outro. É um parque verde e lindo com várias...esculturas!!! Não é muito grande, mas é bonito e dá para fazer lindas foteenhas pra por no Face :)




Parque Arauco (Bairro Las Condes)

Outro shopping. Meu preferido, diga-se de passagem. Muito lindo, com muitas opções de lojas e restaurantes. Você gosta de sorvete? Não deixe de provar o do Emporio La Rosa (no Parque Arauco tem dois, no Costanera Center também tem um). Coisa dos deuses! E detalhe: eu não gosto de sorvete normalmente.



Parque Araucano (Bairro Las Condes)

Outro parque muito lindo, localizado exatamente em frente ao Parque Arauco (pela saída lateral). Um lugar muito gostoso para conhecer, especialmente com crianças.

A verdade é que Santiago está incrivelmente lotada de parques lindos, verdes e bem cuidados. Eu citei apenas os meus dois preferidos, para não ficar repetitivo.





Bali Hai (Las Condes)

Restaurante lindo, superbem decorado, com shows espetaculares de músicas e danças típicas da Ilha de Páscoa. O problema é que o cardápio também é Rapa Nui, o que eu considerei um pouco exótico. Além disso, o preço (ao contrário da comida) é bem salgado. Quando eu fui era 30 mil pesos por pessoa (janta + drink + show), algo como R$ 120.  O engraçado é que no dia que nós fomos o único chileno presente no local era meu marido (sim, todos os outros eram brasileiros).





Viña Del Mar (aproximadamente 100 km de Santiago)

A praia é linda. O cassino é lindo (sim, aqui no Chile os cassinos são liberados. Dá até pra fazer uma fezinha). O relógio de flores é lindo. E, sim, amo Viña del Mar radicalmente. Não sei emitir uma opinião imparcial. Fiquem com essa apaixonada mesmo.





Valparaíso (aproximadamente 100 km de Santiago)

É o maior porto do Chile. Ou seja, visual total de porto: navio, marinheiros e maresia. Lá também está uma das casitas de Neruda, sobre a qual falei aí pra cima.




Concha y Toro (Pirque, Região Metropolitana de Santiago)

Se você tiver que fazer um único passeio em Santiago, faça esse. Não, não estou ganhando nem uma tacinha de vinho pra falar isso. Mas é que realmente vinho e Chile tem tudo a ver e o tour é muito interessante. Pagando 8 mil pesos, você faz a visita guiada em português (fiz com um ótimo guia baiano, chamado João) e conhece toda a imensa propriedade, faz degustação de vinho branco e tinto (e leva a taça de lembrança) e visita a adega do Casillero Del Diablo, o vinho mais famoso do Chile.
















Bom, acho que é isso. Se eu lembrar de mais alguma coisa (ou for conhecendo coisas novas) vou atualizando aqui. Queria apenas deixar algumas dicas:

1 – Se for trazer dinheiro para trocar aqui, opte pelas casas de câmbio do centro, onde se paga melhor pelo real. Mas ande com cuidado. Centro de uma grande cidade é sempre o sempre de uma grande cidade.
2 – Para fazer passeios mais distantes, como Concha y Toro, Viña del Mar, Valparaíso ou Valle Nevado (que nunca fui, mas sei que o esquema é o mesmo), você pode comprar pacotes especiais no hotel onde está hospedado (nem todos tem, então consulte antes) ou na Turistik. Você encontra filiais da agência nos shoppings, no Mercado Central. No Patio Bella Vista e outros lugares.
3 – Dentro de Santiago, você chega facilmente a qualquer lugar usando metrô. É muito prático!
4 – Para se hospedar, minha dica é o bairro da Providencia, que fica bem localizado e relativamente perto de tudo o que é turístico.
5 - Se você é daqueles que sente muita falta da comida de casa, já falei sobre os restaurantes brasileiros aqui.