segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Amor de Facebook

Sábado estava numa festinha só com mulheres, sendo que todas elas conheceram meu marido bem antes de mim. Vizinhas, amigas de infância, mãe das amigas de infância. Enfim. Em dado momento, uma delas, muito cheia de dedos, começa a me rodear:

- Fernanda, posso fazer uma pergunta pessoal? É uma curiosidade que eu sempre tive. Então... O Osvaldo é com você na vida real, assim como ele demonstra ser na internet?
- Assim como?
- Romântico, apaixonado, carinhoso...
- É sim. Até mais, porque ele se expressa melhor em gestos do que em palavras.

Depois ela me disse que já imaginava, pois via o meu marido bem diferente depois que me conheceu. Que ela já o presenciou em outras relações e nunca foi como ele é comigo. 

Primeira sensação: lisonja, claro. Ser especial é bom. Ser A MAIS especial melhor ainda.  
Segunda sensação: depois que meu ego sossegou o facho, fiquei matutando. A pergunta dela, a princípio pode parar uma pouco absurda mas, pensando bem, é um tanto coerente em tempos atuais. Dane-se o que aconteceu na sua casa, na sua consciência ou no seu coração. Se você deu check-in na academia cinco vezes na semana, postou foto de salada no Instagram, e escreveu que ama a pessoa que está ao seu lado, tá tudo resolvido. 

(E se for pra sair e não tirar foto, melhor nem ir).