domingo, 21 de setembro de 2014

Dois

Há dois anos, por volta dessa mesma hora, caía uma chuva torrencial em Belo Horizonte. Todo mundo ia para a cama tensos com receio de que a tempestade se prolongasse até a manhã seguinte, quando aconteceria o casamento e depois a festa (num local ao ar livre). 

Todo mundo, menos eu. A noiva.

Eu sabia que a chuva era passageira e que tudo daria certo.

E deu.

Que comecem as comemorações.