segunda-feira, 9 de março de 2015

Álbum de Viagem - Sul do Chile II

Segunda Parada: Pucón

Depois do fim de semana em Concepción, seguimos para o nosso destino principal da viagem: Pucón. Esta cidade está a 780 KM de Santiago (olhei no Google). É possível tomar um ônibus da capital até lá ou um avião de Santiago até Temuco, que é a maior cidade daquela região. Como nós não estávamos em Santiago, também tivemos que fazer uma baldeação em Temuco.

Pegamos um ônibus de Concepción até lá (cerca de 4 horas de viagem) e de lá pegamos mais um ônibus até Pucón (aproximadamente 1 hora de viagem). Eu estava superansiosa e minhas expectativas foram instantaneamente superadas. Pucón é uma delícia! As casinhas de madeira, as ruas de pedra, o cheirinho de pão amassado saindo do forno, a vista para o vulcão Villarrica de qualquer ponto da cidade: tudo é lindo.  

O nosso hostel era uma graça à parte e recomendo demais: Donde Germán. Uma fofura, parecia casinha de boneca, além de ter um atendimento excelente. 










Em Pucón são oferecidos diversos passeios, incluindo escalada do vulcão Villarrica. Para quem gosta de aventura é perfeito. Mas também existem opções para quem quer ver coisas maravilhosas sem fazer muito esforço (nosso caso). 

Um dos passeios que mais recomendo na VIDA é a visita às Termas Geométricas, que ficam em Coñaripe. A menos que você contrate um pacote por um preço exorbitante, não há como ir direto de Pucón até lá. O que fizemos foi pegar um ônibus até a cidade de Villarrica e de lá pegar uma van até as termas. Tem várias dessas vans que ficam oferecendo o passeio. Mas tem que ser esperto porque a variação de preço de uma pra outra é chocante! Nós pagamos aproximadamente R$ 100 por pessoa, valor que incluía a entrada nas termas. A temperatura das piscinas naturais onde podemos entrar varia de 35 a 45 graus. Maravilhoso. Eu amo água quente e poderia ficar ali pra sempre! 








Desde que a gente decidiu fazer essa viagem, eu estava ENLOQUECIDA por visitar a reserva de Huilo Huilo. Especialmente porque queria ver de perto seus famosos hotéis Reino Fungi, Nothofagus, e, principalmente, a Montaña Mágica. Sempre me impressionou ver as fotos deste lugar. Maaaaaas, acho que minha mente é mirabolante demais, o que muitas vezes pode ser motivo para decepções. Apesar de ser, de fato, o hotel mais diferente que já vi na vida, acho que o nome Montaña Mágica superestima nossas expectativas (a minha, pelo menos). Fiquei, sim, desapontada. É bonito. Mas eu chamaria de, no máximo, um morrinho mágico. 





Para compensar, eu não tinha nenhuma expectativa quanto à reserva ecológica de Huilo Huilo em si. E foi uma grata surpresa. As cascatas de água são maravilhosas (e olha que de cachoeira a gente que é de Minas entende, né?). Também fizemos um passeio de ferry boat pelo lago Pirihueico, que nos permitiu passar pertinho de outros vulcões, e visitamos a cervejaria Petermann. 












Este passeio fizemos com uma agência, o que eu gosto bastante devido às informações que os guias nos passam. A agência que contratamos era da cidade de Villarrica, que tem um preço gritantemente menor que os valores operados em Pucón. 

Bom, nós ficamos em Pucón uma semana. Foi o suficiente para conhecer os lugares que gostaríamos e descansar, às vezes no hostel mesmo, às vezes à beira do lago Villarrica. Mesmo sendo suficiente, fui embora com o coração apertado. Realmente me apaixonei por este lugar e espero voltar.